RETIRADA DE PEÇAS INTEIRAS E TIPOS DE ARGAMASSAS COLANTES INDUSTRIALIZADAS

RETIRADA DE PEÇAS INTEIRAS E TIPOS DE ARGAMASSAS COLANTES INDUSTRIALIZADAS

 

Muitos clientes perguntam o porquê de alguns revestimentos serem retirados inteiros, enquanto outros não. Isso varia de acordo com a porosidade da peça e principalmente da argamassa colante empregada, que dependendo do seu tipo e sua aplicação, são mais resistentes à remoção, resultando em possível quebra das peças.

Inicialmente, argamassa colante é uma mistura constituída à base de cimento, agregados, água e aditivos químicos, e é a proporção de consumo diferente destes elementos somada à escolha dos aditivos empregados que alteram a sua aderência.

Existem quatro tipos de argamassa colante disponíveis no mercado atualmente e são denominadas AC-I, AC-II, AC-III e AC-III E. Cada tipo de argamassa servirá para um determinado serviço e a escolha do melhor tipo a ser utilizado influenciará no desempenho, qualidade, aderência e custo.

A argamassa AC-I tem características de resistência às solicitações mecânicas típicas de cerâmica em área interna, tanto na áreas secas como molhadas, com exceção daquelas aplicadas em áreas especiais, como saunas, churrasqueiras, estufas e outras.

A argamassa AC-II é indicada para uso em ambientes externos. Possui propriedades que diminuem a interferência de temperatura e umidade, típicas do trabalho ao ar livre. Deste modo, a AC-II pode ser utilizada para revestimento externo de paredes e fachadas, pisos em áreas externas, assentamento de revestimento de piscinas de água fria e pisos cerâmicos industriais ou de área pública.

A argamassa AC-III é indicada para resistir altas tensões. Por isso, é indicada para assentamento de revestimentos cerâmicos em fachadas onde o risco de acidentes por queda das peças é maior, assentamento de revestimento em piscinas de água quente e sauna e para assentamento de revestimentos de placas grandes, maiores do que 60x60cm.

Já a argamassa AC-III-E é indicada para resistir a altas tensões, com tempo em aberto estendido.

Além da aderência diferente entre as argamassas colantes, também não é incomum encontrar em obras o assentamento de revestimentos em substratos não nivelados. Isso gera um maior uso de argamassa na tentativa de alinhar a superfície e dificulta na retirada dos revestimentos. Da mesma forma, peças que não são coladas com os sulcos adequados ou até sem a sua presença, também dificultam na hora da sua remoção.